KOMBI HOME

Nomadismo digital: um novo conceito para trabalhar e viajar mundo afora

Casal mineiro apostou na ideia, com meta de conhecer o Brasil e o Mundo

Por ALINE OLIVEIRA 18 JUL 2019 - 08h00min
Passagem por MS aproximou casal de outros apaixonados por Kombi Passagem por MS aproximou casal de outros apaixonados por Kombi Foto: Arquivo Pessoal / Na Estrada

O termo nomadismo digital pode ser definido como um estilo de vida, no qual as pessoas viajam pelo mundo e trabalham de forma remota, a partir dos canais e ferramentas oferecidos pela internet.  É uma escolha de vida que une o desejo de viajar para vários destinos e ao mesmo tempo trabalhar e captar recursos.

Com esse objetivo em mente, Lucas Teixeira Lopes que é desenvolvedor de sites e Beatriz Gonçalves de Oliveira, Laticinista, deixaram o cotidiano de vida e trabalho na cidade de Viçosa (MG) para conhecer o Brasil e o Mundo.

Beatriz conversou com a equipe do jornal O Pantaneiro e contou um pouco da saga do casal para conseguir montar sua Kombi Home e conhecer o território nacional. “O Lucas fez uma pesquisa intensiva na internet e descobriu que vários brasileiros estão aderindo ao estilo de vida em Moto Homes. Além disso descobriu que algumas destas pessoas estavam realizando seus projetos com esse veículo, então o próximo passo foi adquirir a nossa ‘Kombi Chica” e planejar o roteiro de viagens”, explica.

O roteiro começou a partir de Minas Gerais para o norte de São Paulo e há menos de uma semana o casal chegou em Mato Grosso do Sul. O objetivo é conhecer todos os estados brasileiros, pelo menos algumas cidades. Bia conta que nas redes sociais recebem várias dicas de locais turísticos bastante ou pouco conhecidos, mas, também vão “no rumo”.

“Na minha opinião Mato Grosso do Sul foi um roteiro inesquecível, apesar de não termos conhecido todas as paisagens naturais passamos por Aquidauana e Camisão no Wild Camp, Bonito que é realmente de uma beleza ímpar com suas águas cristalinas. Também percorremos a estrada parque de Corumbá, com direito a safari para contemplarmos os animais do Pantanal. Conseguimos ver vários, só a onça não quis aparecer”, comenta divertida.

 CONTRATEMPOS

Lucas é o piloto oficial, mas, quando o cansaço bate a Bia pega o volante, porém, confessa que não gosta. A fim de ter a maior segurança possível realizam manutenções constantes no veículo e já tiveram que trocar os pneus da “Chica”. Outro combinado é não viajar de noite na rodovia, a fim de evitar contratempos.

“Já aconteceu da Kombi pifar e ficamos atolados no barro. Por sorte, um caminhão passou algumas horas depois e nos rebocou, mas, terminamos não chegando no destino que era o parque de Bitipoca, em Minas. A subida muito íngreme exigia demais do motor e preferimos não correr riscos. Quanto a rodovia evitamos porque se acontecer do veículo parar, as pessoas não costumam parar para ajudar por medo, então melhor evitar ao máximo”, observa.

ROTINA? NUNCA

Bia conta que a vida de Kombi Home não apresenta rotina, pois, cada dia é um lugar diferente, apesar de ficarem em média seis ou sete dias em cada cidade. Outra questão que é motivo de constante atenção é conseguir reabastecer a caixa d’ água ou encontrar pontos de energia elétrica. “Morar em um veículo é muito diferente da normalidade de uma casa ou apartamento. São desafios diários como ter que lavar as roupas em baldes, tanques, pias e até no rio” revela.

Quanto ao trabalho, o ritmo é intenso apesar das viagens é preciso, algumas vezes, estacionar em alguma cidade para dar conta das tarefas profissionais. No dia em que Bia conversou com nossa equipe estavam em Campo Grande, capital do Estado, próximo à Prefeitura.

Ao questioná-la sobre o novo estilo de vida, ela responde que está valendo demais a pena. “Essa viagem representa para mim um mundo de oportunidades, paisagens diferentes, conhecimento de novas culturas e pessoas. Eu e o Lucas estamos muito animados, tanto que estamos pensando em novas expedições”, declara Bia.

Nos próximos dias, o casal “pega” a estrada novamente rumo ao norte do Brasil, mas, antes vão dar uma conferida em Rio Verde do Mato Grosso e Coxim. “Nosso objetivo é chegar até a região norte e depois voltar pelo litoral, entrando por Tocantins. Daí será a vez de viajar até chegarmos ao último destino dessa primeira expedição, a região Sul”, conclui.

A Bia conversou com nossa equipe porque o Lucas estava trabalhando, mas, foi muito bom conhecer a história desse casal talentoso e perseverante. Quem quiser acompanhar a expedição do “Na Estrada” pode acessar o Youtube: Na Estrada ou no Instagram: @naestradadekombi

CCAA MOBILE

Deixe seu Comentário

Leia Também

FecharAbrir