Fauzi Suleiman

BR-419: A RODOVIA QUE NOS CONECTARÁ A UM NOVO FUTURO!

Por Fauzi Suleiman 25 SET 2017 - 08h24min
 
ENTENDA OS IMPACTOS QUE A BR-419 TERÁ SOBRE AQUIDAUANA E REGIÃO: PAVIMENTAÇÃO DE 223 km, ANEL VIÁRIO E NOVO ACESSO À AQUIDAUANA.
 
Notícias divulgadas por autoridades responsáveis informam que dentro de seis meses, aproximadamente, serão iniciadas as obras de pavimentação da BR-419, no trecho entre os municípios de Aquidauana-Rio Negro-Rio Verde.
 
Como cidadão que ama essa cidade e, principalmente, pela honra que me foi dada de servi-la como prefeito, desenvolvi uma visão sobre alguns dos projetos estratégicos necessários para fazê-la avançar e dar início a um novo ciclo de progresso.
 
Nessa visão, que creio ser compartilhada pela maioria dos que pensam o futuro de Aquidauana, entendo como necessária a luta permanente da liderança política, social e econômica do município, pela concretização de algumas ações no campo de nossa infra-estrutura, já que investimentos nessa área são requisitos para o desenvolvimento. Entre essas ações, certamente, destacam-se como prioritárias as seguintes:
 
1. BR-419: Pavimentação da rodovia – do Anel Viário com 22 km – Nova Ponte e Novo Acesso à Aquidauana;
2. Revitalização do Parque Natural Municipal da Lagoa Comprida
3. Programa massivo de pavimentação e de recuperação de pavimentação na área urbana e distritos;
4. Grande Programa Habitacional;
5. Revitalização do Centro Histórico de Aquidauana, envolvendo o entorno da Igreja Matriz e Centro Comercial com padronização de calçadas, acessibilidade, novo projeto de iluminação e modernização de sinalização.
 
Não por acaso, percebe-se que dentro da hierarquia das ações estratégicas para o desenvolvimento de Aquidauana, a pavimentação da BR-419 ocupa o topo das prioridades.
 
Aquidauana e região se transformarão a partir de sua implantação. 
 
Trata-se de uma obra sonhada por toda a região, há muitos e muitos anos. Geração após geração de aquidauanenses (aqui nascidos ou não) trabalhou, sonhou e imaginou o momento que esse dia chegaria. 
 
O mais emblemático e aguerrido defensor dessa bandeira, talvez, tenha sido o combativo advogado, piloto e líder político Clealdon Alves de Assis.
 
O músico, escritor e acadêmico de Turismo, Rangel Castilho, no trabalho de conclusão de curso que está desenvolvendo, aborda o desenvolvimento de Aquidauana a partir do conceito de eixos. 
 
Segundo essa concepção, com a fundação de Aquidauana em 1892 se inicia o primeiro eixo: o Eixo Fluvial. Fluvial porque a relação com o rio é definidora da vida da cidade então. Em 1912, temos a chegada da ferrovia e, com ela, inicia-se o Eixo Ferroviário fazendo a cidade orbitá-lo até os tempos atuais. Rangel defende que com a pavimentação da BR-419 um novo eixo se estabelecerá, tendo a rodovia como seu epicentro. Concordo com essa análise.
 
É por essa razão que a luta pela implantação dessa rodovia nunca cessou.  Essa obra é única e tem um potencial transformador para Aquidauana e toda nossa região. Novas dinâmicas econômicas, sociais e políticas serão ativadas. Trata-se de um projeto estruturante que criará condições locais e regionais para nosso desenvolvimento.
 
Entre os impactos que nos afetarão regionalmente é possível relacionar: 1-a inclusão de nossa região numa rota que liga as pontas de produção e consumo mundiais; 2-a inclusão de Aquidauana e região num dos principais eixos da rota bioceânica, rota que representará uma alternativa aos produtores nacionais para o escoamento de sua produção de carne e grãos pelos portos de Santos/Paranaguá, pois ela encurtará a ligação com a Ásia (principal mercado consumidor de nossa produção) em 7 mil km, em 10 dias e reduzirá em 50% o custo de frete; 3-a abertura de uma janela que possibilitará a viabilização definitiva dos portos de Murtinho e Corumbá; 4-e ainda, não menos importante, a aproximação de municípios que tem na matriz pantaneira a base de suas identidades culturais, mas que hoje estão distantes por uma questão de logística.
 
Em relação à realidade local teremos como possíveis ações que nos impactarão: 1-a valorização de imóveis rurais e urbanos; 2-o acesso facilitado à região pantaneira e a conseqüente integração/dinamização das atividades econômicas, sociais e culturais nessa região pelo aperfeiçoamento da logística que será muito melhorada; 3-o novo acesso à Aquidauana, que representará o fim do isolamento a que ficamos submetidos em razão de enchentes periódicas; 4-o estabelecimento de uma nova dinâmica de crescimento tendo como eixo o novo acesso e o anel viário de 22 km que margeará Aquidauana ligando a BR-419 à BR-262, e que permitirão a viabilização do distrito industrial, de um novo setor de serviços baseados em empreendimentos turísticos e de lazer para a população através da apropriação do Rio Aquidauana por nossa população e turistas.
 
No entanto, chamo a atenção para alguns pontos importantes desse projeto para nossa cidade que ainda não foram informados publicamente e precisam ser acompanhados bem de perto, especialmente, por nossos agentes políticos nesse momento de decisões finais e início das obras.
 
O primeiro deles é a nova ponte que será construída sobre o rio Aquidauana. Ponte para nós é mais do que apenas um elemento de ligação entre duas margens: é também um signo emblemático de nossa história e cultura. A nova ponte precisa incorporar isso e ir além: como porta de entrada para o mais belo dos pantanais, como elo físico e espiritual de ligação entre o planalto e a planície pantaneira, ela precisa ser um elemento potencializador do turismo e seguir como fortalecedor de nossa história e cultura.
 
Em audiência regional que convocamos em 25 de novembro de 2011, como prefeito de Aquidauana, com a presença de autoridades estaduais e colegas prefeitos das cidades envolvidas e em que foi apresentado o projeto executivo da pavimentação da BR-419 sugerimos que fosse construída uma verdadeira obra de arte; uma ponte estaiada, talvez. Qualquer que seja o projeto é essencial que tenhamos uma bela ponte!
 
Outro ponto muito importante para nosso desenvolvimento é a conexão da área urbana à rodovia, através do anel, por pelo menos três alças: a primeira ligando aos bairros Nova Aquidauana/Cidade Nova; a segunda conectando a siderúrgica e a região do Morrinho e a terceira fazendo uma ligação com o Instituto Federal.
 
Pensadores do desenvolvimento definem como Barreira Alfa aquele ponto que precede às grandes transformações. Mesmo que não pareça, Aquidauana, Anastácio e região estão vivendo esse momento.
 
E não podemos deixar de agradecer aos que foram os grandes semeadores para que pudéssemos começar a viver a expectativa desse momento: o ex- Governador André Puccinelli, que deu o pontapé inicial ao bancar com recursos estaduais a elaboração do projeto executivo e fazer gestões intensas sobre a presidente Dilma; ao Senador Moka; ao ex-senador Delcídio; ao ex-deputado federal Giroto, e a toda a bancada federal que nunca deixaram de incluir recursos para essa obra no orçamento da União e ao atual Governador Reinaldo que continuou a lutar por sua concretização entendendo a importância dessa que é uma das últimas grandes rodovias de MS que faltam ser pavimentadas. Os semeadores precisam ser sempre reverenciados. Não para engrandecê-los, mas para engrandecer o gesto de plantar. Todos gostam de colher, muito poucos gostam de plantar. Mas se não houver plantio, não haverá colheita. 
 
Bem-vindo futuro!
Campanha Grupo Whatsapp 8

Sobre o Autor

Fauzi Suleiman

Deixe seu Comentário

Leia Também

Campanha Atlântico Super Center - Quinta_12
FecharAbrir
Fale com a redação